O tribunal espanhol de primeira instância de Güímar, em Tenerife, emitiu um mandado de busca internacional para o pai que desapareceu com as filhas de um e seis anos.

As crianças estão desaparecidas desde terça-feira, depois de Tomás Gimeno ter falhado a hora de entregar as menores à mãe e sua ex-mulher.

O pai enviou, ainda, uma mensagem perturbadora à ex-mulher no último contacto entre ambos, dizendo: "Não vais voltar a vê-las."

O crime de sequestro é a primeira linha de investigação, mas as autoridades não descartam outros cenários.

Foram já recolhidos testemunhos de familiares e amigos próximos dos desaparecidos, bem como realizadas buscas na casa e na quinta de Tomás Gimeno. O tribunal emitiu também o levantamento de sigilo bancário, de modo a verificar se o pai das crianças fez algum levantamento antes de desaparecer com as filhas ou se o fez depois disso.

O controlo nos portos e aeroportos foi reforçado e a qualquer momento se deverá juntar à investigação a Unidade Central Operativa (UCO) da Guardia Civil, especializada em casos complicados de desaparecimentos, como os de Diana Quer, Gabriel Cruz e Asunta Basterra.

Os investigadores conseguiram detetar sangue no barco de Tomás Gimeno, no qual foi visto pela última vez, sozinho, antes do desaparecimento.

Logo na terça-feira a Guarda Civil iniciou uma intensa operação de buscas em Tenerife para tentar localizar o suspeito e as duas crianças.

Os agentes concentraram as atenções num barco em que, aparentemente, Tomás partiu para o alto mar, na costa de Güímar. Os investigadores encontraram o barco à deriva e sem ninguém dentro. Encontraram, ainda, o carro de Tomás Gimeno no porto. Uma equipa de mergulhadores também foi mobilizada. 

A polícia considera o desaparecimento de alto risco. O casal separou-se em dezembro e a ex-mulher de Tomás já havia admitido que o suspeito a tinha ameaçado verbalmente.

Em março, os agentes da Guarda Civil entraram em contacto com a mulher e perguntaram se as ameaças se tinham repetido. Ela disse que não.

Desde então, o ex-casal não registou nenhum episódio de agressão ou violência. Nesta terça-feira, Tomás estava obrigado a entregar as filhas depois de passar a tarde com elas, mas não o fez.

Na mesma noite, a mãe das crianças avançou com uma queixa, contando, ainda, às autoridades que Tomás lhe tinha ligado duas vezes, com expressões que não lhe fizeram sentido na altura. Em um dos telefonemas, o suspeito disse: "Tu não vais ver as meninas de novo."

Catarina Machado