A Austrália anunciou, esta sexta-feira, que vai apresentar uma queixa contra o Japão no Tribunal Penal Internacional. Isto depois de terem fracassado os anos de negociação para impedir a pesca baleeira na Antárctida.

A BBC News informa que, após meses de ameaças, o governo de Camberra confirmou que na semana próxima apresentará em Haia acusações formais contra os baleeiros japoneses. O Japão, que mata centenas de baleias por ano, alega que os faz por razões científicas.

«Queremos que cesse a matança de baleias em nome da ciência e da investigação», sublinha o ministro australiano da Protecção Ambiental, Peter Garrett.

O ministro japonês da pesca, Hirotaka Akamatsu, lamenta a determinação australiana e contrapõe que os baleeiros operam de acordo com uma moratória internacional. Mas a verdade é que a Comissão Baleeira Internacional já admitiu, em Abril último, a possibilidade de revogar essa mesma moratória que beneficia desde 1986 a Noruega, a Islândia e o Japão.

A decisão da Austrália de colocar um ponto final no programa japonês de pesca «científica» da baleia, surge antes da realização, em Junho, de uma reunião da Comissão Baleeira Internacional. O objectivo da reunião, que vai realizar-se em Marrocos, é encontrar uma nova abordagem para a pesca da baleia, que deverá permitir a pesca comercial, mas regulada por um severo regime de quotas.
Redação / AR