O desemprego em Espanha poderá alcançar os 16,2 por cento e os 3,8 milhões de pessoas no final do segundo trimestre deste ano, segundo o novo Indicador Laboral de Comunidades Autónomas (ILCA).

O estudo, da empresa de recrutamento Adecco e da escola de negócios IESE, calcula que a economia espanhola continuará a destruir emprego pelo menos até meados deste ano.

A confirmar-se estas previsões seria o quarto trimestre consecutivo em que cairia a taxa de ocupação, agravada pelo facto de não haver saída profissionais para quem acaba de entrar no mercado laboral em Espanha.

Pelas contas do ILCA, em meados do ano haverá cerca de 19,6 milhões de espanhóis a trabalhar e o número de desempregados terá mais que duplicado (um aumento de 1,4 milhões) desde Junho de 2008 para 3,79 milhões de pessoas.

Esse valor representaria um nível de desemprego de 16,2 por cento, comparativamente aos 13,9 que se registavam no final do ano passado.
Redação / JF