O custo laboral médio mensal de cada trabalhador em Espanha (incluindo salários e cotizações sociais) ascendeu a 2.534,8 euros no quarto trimestre de 2008, mais 5,4 por cento face ao período homólogo em 2007.

Segundo o Instituto espanhol de Estatística (INE), trata-se do maior aumento interanual neste indicador desde 2000, quando se começou a preparar esta análise estatística, escreve a Lusa.

Para o INE, o aumento nos custos deve-se essencialmente aos aumentos dos custos não-salariais.

De referir que do total do custo laboral, o componente salarial (que abrange todas as remunerações, tanto em dinheiro como em benefícios) alcançou os 1.897,2 euros, mais 4,9%, tendo o salário ordinário (sem horas extraordinárias ou salários em atraso) aumentado 5,1% para 1.548,32 euros.

Os outros custos laborais (incluindo cotizações obrigatórias para a Segurança Social) foram de 637,62 euros, mais 6,7%.

Este aumento deve-se em grande parte ao crescimento das indemnizações por despedimento e fim de contrato, tendo as cotizações sociais crescido 3,4%.