Os trabalhadores da Soflusa, responsável pelas ligações fluviais entre Barreiro e Lisboa, aprovaram também esta terça-feira uma greve, de três horas por turno, para o dia 23 de Março, à semelhança do que aconteceu na Transtejo.

«A decisão dos trabalhadores foi exactamente igual aos trabalhadores Transtejo, ou seja, uma greve no dia 23 de Março, nos moldes habituais de três horas por turno, greve de 60 dias às horas extraordinárias, que começa às 00:00 do dia 23 de Março, bem como greve às deslocações para fora do rio Tejo», disse à Lusa o dirigente sindicato do sector José Augusto.

Segundo o sindicalista, os trabalhadores exigem o cumprimento do que foi celebrado entre as partes no acordo de empresa.

«Exigem o cumprimento integral do Acordo de Empresa pois uma comunicação feita aos trabalhadores revelou que a empresa iria aplicar a lei do orçamento que entra em contradição com o que está estabelecido no acordo, em casos como o pagamento do valor hora ou o valor do trabalho extraordinário».

Sobre uma eventual conversa entre as partes que possa vir a impedir estas novas medidas de luta, José Augusro referiu que a Soflusa não se mostrou muito aberta a dialogar.

«A empresa não se mostrou aberta a negociar, ao contrário de outras empresas como a REFER que vai aplicar o que está estabelecido no acordo de empresa».
Redação / VC