O secretário de Estado das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, considerou que a atividade económica vai beneficiar indiretamente da emissão da dívida a 10 anos.

Sérgio Monteiro falava na terça-feira à noite num jantar-debate organizado pela Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (APDC), em Lisboa.

Portugal emitiu na terça-feira 3 mil milhões de euros de dívida pública com prazo a 10 anos, pagando uma taxa total, incluindo todos os custos associados, de 5,669%, enquanto a taxa de juro que será paga anualmente será de 5,65%.

«Com estas emissões [o objetivo] é abrir o mercado aos agentes económicos», afirmou Sérgio Monteiro.

«Estamos razoavelmente financiados, não nos falta liquidez de curto prazo, mas este capital de credibilidade que emissão a 10 anos nos traz é, sobretudo, para o benefício das empresas que têm código postal em Portugal».

Isso «enche-nos de otimismo que a atividade económica possa beneficiar indiretamente desta emissão da República», disse.
Redação / CPS