França decidiu proibir as viagens não essenciais de e para o Reino Unido devido ao elevado número de casos da variante Ómicron naquele país, anunciou o governo francês nesta quinta-feira.

A medida restritiva de circulação entra em vigor à meia-noite desta sexta-feira, "face à disseminação extremamente rápida da variante Omicron no Reino Unido".

Passa, assim, a ser exigida uma "razão essencial para viajar", tanto para cidadãos "não vacinados como vacinados".

"As pessoas não podem viajar por motivos turísticos ou profissionais", sublinha, ainda, o comunicado.

 

No entanto, está assegurado o regresso dos cidadãos franceses ou da União Europeia, que terão de testar negativo e cumprir quarentena.

"[Para regressarem] vão ter de registar-se na nossa App e cumprir sete dias de isolamento, num local à sua escolha, período que pode ser encurtado para 48 horas após um teste negativo realizado em França", explicou o porta-voz do executivo, Gabriel Attal.

França espera com esta medida ganhar tempo à Ómicron, numa altura em que o país acelera a campanha de vacinação contra a covid-19.

"Vamos coloca em prática um sistema de controlo muito mais rígido do que o que temos. A nossa estratégia é atrasar o máximo que pudermos o desenvolvimento da Ómicron em França", indicou Attal.

O Reino Unido enfrenta neste momento números recorde de casos de covid-19, com mais de 78.000 casos diários. Foram já identificados 10.000 casos da variante Ómicron.

Catarina Machado