Nuno Moreira, o agente da PSP que a 15 de Março disparou contra Nuno Rodrigues, o rapper conhecido como MC Snake, foi acusado de homicídio qualificado pelo Ministério Público, segundo adiantou ao tvi24.pt, o irmão da vítima, Jorge Rodrigues, assistente no processo.

MC Snake: «A verdade morreu com ele»

Segundo as conclusões do Ministério Público, foram disparados três tiros, um para o ar e dois para a traseira do veículo. Uma das balas passou o banco traseiro e atingiu as costas de MC Snake acabando por lhe causar a morte.

Segundo o documento, o agente da PSP não terá agido dentro das condições legais que legitimam o uso da arma de fogo, nomeadamente, de perigo para a vida quer dos agentes, quer de terceiros. Assim, o Ministério Público considera o disparo «desnecessário, desproporcional e desadequado».

MC Snake: «Mostrar serviço» pode ter sido a causa do disparo

Para o irmão da vítima, MC Snake foi morto «pelo que vestia». «Se o meu irmão fosse de fato e gravata aquilo não tinha acontecido», declarou ao tvi24.pt. Sobre a acusação de homicídio qualificado, Jorge Rodrigues considera que «é um bom início» e que o «Ministério Público está a demonstrar que há Justiça em Portugal».

Jorge Rodrigues salienta ainda que acusação do Ministério Público é ainda fruto da ausência de confrontos de retaliação depois da morte do irmão. «Se fossemos de cabeça quente instigar os bairros à violência , o resultado não seria este», considerou.

«Esta acusação serve para os polícias perceberam que não estão acima da lei e que têm de assumir os erros», conclui.

O tvi24.pt contactou a Direcção Nacional da PSP com o intuito de apurar se o inquérito disciplinar ao agente já estava concluído, mas fonte oficial informou que ainda está em elaboração, sem adiantar mais pormenores sobre o caso.