O biólogo Jorge Paiva considera estranho que vários plátanos de uma avenida de Coimbra por onde passará o futuro metropolitano estejam a ser atacados por fungos, obrigando ao seu abate, iniciado esta semana.

«Os plátanos deviam estar sob stress mas isto é esquisito ser tantos plátanos e logo ao mesmo tempo, quando há um projecto de um metro ligeiro de superfície que há muito quer tirar os plátanos do separador central» da Av. Emídio Navarro, sustentou.

Questionado pela agência Lusa, Jorge Paiva escusou-se a explicar as razões da sua estranheza, afirmando apenas: «Tenho todo o direito a achar muito esquisito, ainda por cima (atacando) plátanos em linha».

Jorge Paiva participou nos primeiros «Encontros Provedoria», sobre «A cidade e as árvores», no Museu da Água, em Coimbra, promovido pela Provedoria do Ambiente de Coimbra, onde abordou a relação entre «As Árvores e a Vida».

Um «problema novo» que já provocou a morte de 37 árvores

A doença dos fungos dos plátanos é um «problema novo» com que a cidade se está a deparar e que, segundo a engenheira agrónoma Andreia Almeida, da Câmara de Coimbra, já provocou a morte a 37 árvores, 26 das quais no Parque Dr. Manuel de Braga, à beira rio, e 11 no separador central da Av. Emídio Navarro, paralela a este espaço verde.

As árvores mortas começaram esta semana a ser abatidas, «até para não propagar» a doença, disse à Lusa a técnica da Câmara, à margem do encontro, precisando que no Parque Dr. Manuel de Braga existem 164 plátanos e no separador central da Av. Emídio Navarro.

Na mesma zona, outros plátanos, cujo número Andreia Almeida não precisou, manifestam também sintomas da doença, estando a autarquia a aguardar o relatório final das análises enviadas a um laboratório especializado para definir que tipo de intervenção será efectuada e se abrangerá outras árvores que não apenas os plátanos.

Um dos fungos detectados é «muito conhecido por atacar a vinha, mas normalmente árvores em bom estado sanitário lidam bem com ele», explicou Francisco Coimbra, acrescentando que o problema dos fungos nos plátanos surgiu o ano passado em Portugal, na zona de Carcavelos, desconhecendo-se por que razão aparece agora em Coimbra, focalizado numa zona à beira rio.
Redação / CMM