O PSD considerou hoje que o despacho provisório de encerramento compulsivo da Universidade Independente era «a única decisão possível e obrigatória», considerando que esta situação se transformou «num escândalo e num caso de polícia».

«Era a única decisão possível e obrigatória. O caso Independente transformou-se num escândalo e num caso de polícia. Afecta a instituição, os seus estudantes e a imagem do ensino superior», afirma o PSD, num comunicado da direcção.

No comunicado, os sociais-democratas apelam a que o Governo recoloque rapidamente os estudantes afectados noutras instituições.

«Espera-se agora que o Governo seja rápido a tratar da colocação dos estudantes noutro estabelecimento do ensino superior, como lhe compete», apela.

«Os estudantes não têm a culpa da situação a que chegou a Universidade Independente», salienta o PSD.

O ministro do Ensino Superior, Mariano Gago, decidiu hoje emitir um despacho provisório de encerramento compulsivo da Universidade Independente (UnI), considerando que o seu funcionamento estava a decorrer «em manifesta degradação pedagógica».

«Tomei a decisão de proferir um despacho de encerramento compulsivo da UnI, despacho que é, por força da lei, provisório. Já mandei notificar a universidade que, nos termos da lei, tem dez dias úteis para se pronunciar, fazendo os considerandos ou as alegações que entender», afirmou Mariano Gago, em conferência de imprensa.