“A partir de janeiro tenho de despedir pessoas, eu não aguento mais a partir desse mês”

Depois de ultrapassar a crise de 2008, o chef Rui Paula confessa que a situação pandémica no país “é gravíssima” e que nunca passou por nada semelhante. Para o distinto empreendedor, que não é homem de se “queixar sem justa causa”, as medidas que o Governo anunciou no âmbito do estado da emergência são insuficientes.

Sobre "Segunda Vaga"