Qual a vitória mais saborosa sobre o Benfica Aloísio fala de um 3-0 (que foi 3-1)

Em semana de Benfica-FC Porto, nada melhor do que respirar fundo e convidar dois cavalheiros para a mesa de conversa. Sem ponta de exagero, dois dos melhores defesas centrais que passaram pelo nosso país e pelos dois finalistas da Taça de Portugal.

Ricardo Gomes e Aloísio Alves, prezados cinquentões, ainda e sempre dois exemplos de educação e simpatia. O primeiro vestiu a camisola das águias durante quatro anos, venceu a Taça de Portugal em 1996 – numa final do Jamor tristemente celebrizada pelo ‘caso do very light’ -, foi duas vezes campeão nacional pelo Benfica e defrontou o FC Porto em nove ocasiões.

Aloísio esteve 11 anos no Estádio das Antas, ganhou cinco Taças de Portugal, foi sete vezes campeão nacional e jogou 33 vezes o clássico frente ao Benfica. Poucos, como eles, sabem tão bem o significado da rivalidade entre dragões e águias, entre portistas e benfiquistas.

Ricardo, 55 anos, e Aloísio, 56, não se viam há vários anos. Conheceram-se em 1988 na seleção do Brasil, fizeram dupla de ‘zagueiros’ em cinco jogos consecutivos, foram adversários em Portugal e ficaram amigos para a vida.