AstraZeneca: “Faz sentido que se tenha optado por vacinar apenas acima dos 60 anos”

A DGS e o Infarmed confirmaram a existência de dois casos de tromboembolismos na sequência da toma da vacina da AstraZeneca, em Portugal.

Miguel Prudêncio, especialista em vacinação do instituto de Medicina Molecular, considera que a decisão da DGS e do Infarmed já era expectável.

Sobre "Jornal 24"