Caso Maddie: "Sem uma confissão e sem um corpo pode tornar-se complicado"

A Polícia Judiciária, em conjunto com a Metropolitan Police de Londres e a polícia alemã, que se têm articulado em segredo nos últimos anos, chegaram a um  suspeito formal do rapto e morte de Madeleine McCann, criança inglesa desaparecida em Maio de 2007 na praia da Luz, Lagos, quando tinha apenas três anos.

Sofia Matos, advogada, referiu que se se tivessem passado mais dois anos, ou seja se estivessemos em maio de 2022, este homem já não responderia pelo crime de homicídio qualificado, porque o procedimento criminal para crimes desta natureza em Portugal extingue ao final de 15 anos.

A especialista disse ainda que se o suspeito não confessar os crimes - de homicídio e rapto - e não tendo as autoridades o corpo de Maddie, a investigação pode tronar-se muito complexa. 

Sobre "Notícias"