Caso Rosa Grilo: Tribunal da Relação diz que primeira instância errou no raciocínio feito

O Tribunal da Relação de Lisboa anulou a absolvição do amante de Rosa Grilo e aplicou-lhe a pena máxima de 25 anos de prisão pelos crimes de homicídio qualificado e profanação de cadáver do triatleta Luís Grilo.

António Joaquim tinha sido absolvido do envolvimento no homicídio, em março deste ano, com base no princípio in dubio pro reo. Significa isto que, em caso de dúvida, favorece-se o arguido.

Mas os juízes desembargadores afirmam que o Tribunal de Loures errou na avaliação das provas e no raciocínio feito.

Sobre "Notícias"