Chefe do Exército: "Não houve nenhuma proibição de qualquer género"

O Chefe do Estado-Maior do Exército, José Nunes da Fonseca, garantiu esta segunda-feira que a tradição do hino dos paraquedistas nas celebrações do Dia do Exército não foi proibida e vai manter-se, caso a pandemia o permita.

Um esclarecimento que surge depois de centenas de ex-paraquedistas terem vaiado e pedido a demissão do ministro da Defesa e do Chefe do Estado Maior do Exército durante a cerimónia militar nas comemorações do Dia do Exército, em Aveiro.

Sobre "Notícias 24"