António-Pedro Vasconcelos lembra que "não cabe ao Estado escolher quem deve filmar"

Subscritor de uma posição da SECA, Secção Especializada do Cinema e do Audiovisual, o realizador salienta que não pode ser o Instituto do Cinema e Audiovisual a escolher o júri que atribui apoios ao cinema português. E lembra que a questão da tutela cultural do Estado foi alvo de uma promessa do atual primeiro-ministro