João Botelho: “Tenho de lutar contra o esquecimento”

O realizador do filme “O Ano da Morte de Ricardo Reis”, adaptação da obra de José Saramago com o mesmo título, esteve esta sexta-feira na TVI24.

João Botelho explicou o porquê do seu mais recente filme ter sido gravado a preto e branco. O cineasta garante que seria financeiramente impossível recriar a capital portuguesa do ano 1936 de outra forma.

"Não se pode fazer Lisboa, em 1936, a cores. Era impossível”, explicou.

Sobre "Notícias"