"Compreendo que houvesse a aspiração de uma lei de bases mais taxativa"

A ministra da Saúde, Marta Temido, admite que preferia que a lei de bases da saúde fosse mais "taxativa" quanto à inexistência de parcerias público-privadas na saúde. Ainda assim, diz que são precisos consensos e que os processos são evolutivos