Cashball: Paulo Silva deverá ser o único acusado, avança a TVI

Dois anos e meio depois do início da operação Cashball, na qual foram detidas quatro pessoas por suspeitas de corrupção desportiva, a Policia Judiciária ilibou todos os arguidos, à exceção de Paulo Silva, o empresário que denunciou o caso, escreve a TVI.

Segundo a mesma fonte, os arguidos foram ilibados de responsabilidade por falta de provas, à exceção de Paulo Silva. O denunciante do caso, em março de 2018, revelou ao Ministério Público do Porto que tinha sido mandatado, através de intermediários, para corromper árbitros de andebol e jogadores de futebol adversários de modo a que favorecessem o Sporting. 

Pelo testemunho dos visados, entre eles o do antigo diretor-geral da SAD do Sporting, André Geraldes, ficou provado que Paulo Silva ofereceu 2500 euros a dois árbitros em 2017 e ainda 25 mil euros a um jogador de futebol adversário dos leões. O empresário pediu ao árbitro Roberto Martins que condicionasse o ABC-FC Porto, em abril de 2017, para que os dragões fossem prejudicados. Na mesma altura, Paulo Silva contactou o árbitro Ivàn Cavaleiro para que tivesse o mesmo comportamento no FC Porto-Sporting.