O porta-voz da associação que representa o patronato explicou que as empresas não podem ir mais longe do que já foram.