Combustíveis: mais de metade do que pagamos por litro vai para impostos

Os automóveis têm sido um instrumento da política fiscal de vários governos e este orçamento não é exceção. As tributações autónomas para carros de empresa vão subir 50%, mas também os combustíveis vão manter um contributo importante em termos de receita. O ISP vai continuar a ser muito pesado e o adicional que era suposto descer com o aumento do valor do petróleo não desaparece das contas de Mário Centeno. Os combustíveis estão ao nível mais alto dos últimos 4 anos.

Sobre "Jornal das 8"