Costa recusa fatalismos e pede investimento para estimular economia

António Costa diz que na política não pode haver fatalismos, as previsões podem concretizar-se desde que haja determinação. O primeiro-ministro dá como o exemplo a aposta no investimento, público e privado, como forma de estimular o crescimento económico.