É mais uma ação de três bancos em conjunto, que contraria as afirmações do empresário Joe Berardo feitas numa polémica audição no Parlamento. A penhora atinge centenas de obras de arte, num valor global superior a 500 milhões de euros.