Funcionários da embaixada britânica acompanham repatriamento no aeroporto de Faro

A falência da agência de viagens britânica Thomas Cook está a obrigar o Reino Unido ao maior repatriamento desde a Segunda Guerra Mundial.

No aeroporto de Faro, o voo das 10:15 da manhã com destino a Manchester era o único da Thomas Cook esta semana.

Partiu, ainda que com um ligeiro atraso, e assegurado por outra companhia aérea, fretada pelo governo britânico, para assegurar o regresso a casa de 150 mil turistas deixados para trás no estrangeiro.

Ainda vai demorar algum tempo até se perceber o real impacto no turismo algarvio, mas, para já, estima-se que a falência da Thomas Cook possa ter causado um buraco de milhões de euros nas contas dos empreendimentos turísticos.

A Thomas Cook deixou cerca de 600 mil viajantes entregues à própria sorte, em vários países.

Sobre "Jornal da Uma"