"Primeira Mão": "Resolução do BES já custou mais de 16 mil milhões”

A resolução do BES e posterior autonomização do Novo Banco já teve custos superiores a 16 mil milhões de euros, revela o programa da TVI “Primeira Mão”.

Estes custos são repartidos por acionistas, obrigacionistas, clientes de produtos de papel comercial e contribuintes. Mesmo a conta dos contribuintes é superior aos 3,9 mil milhões de euros de que tipicamente se fala. 

O jornalista Pedro Santos Guerreiro salienta ainda que os custos da pandemia na banca não se vão resumir ao Novo Banco, alargando-se a todos os bancos, que têm neste momento milhares de clientes em moratórias de crédito. Muitos não conseguirão mais tarde pagar, o que pode exigir capital a vários bancos.

Sobre "Notícias"