Comissão de inquérito à Caixa considera que o Banco de Portugal atuou de forma burocrática e sem dar real atenção aos problemas detetados nos vários processos que conduziram à perda de milhões em empréstimos feitos pelo banco público. As maiores perdas na Caixa Geral de Depósitos verificaram-se no mandato de Carlos Santos Ferreira, com o envolvimento de três administradores, entre eles Armando Vara