Ultimato da Ryanair aos trabalhadores é "ilegal" e "imoral"

O SITAVA, Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos, diz que a companhia aérea Ryanair "preocupa-se muito em descartar os trabalhadores e muito menos em negociar formas de os manter", atendendo a que a pandemia, ainda que dure há vários meses, será temporária.

Sobre "Jornal da Uma"