"Uma pessoa nas minhas condições encontra-se inibida de aceder a qualquer informação"

Armando Vara está, esta sexta-feira, no Parlamento a ser ouvido na segunda comissão parlamentar de inquérito à recapitalização e gestão da Caixa Geral de Depósitos. O antigo ministro voltou a frisar a situação em que se encontra - detido desde janeiro no estabelecimento prisional de Évora - mencionando "o brutal impacto" que a situação de prisão configura, classificando-a como um "martírio" que "impede a preparação", que não teve acesso a informação e que tudo o que quiser escrever tem de o fazer "à mão"