Elevada mortalidade: já há fila para fazer funerais

Se o número de internados por causa da covid-19 está a pressionar o Serviço Nacional de Saúde, o número elevado de mortos também começa a causar constrangimentos no setor das funerárias.

A pandemia está a matar mais de duas centenas de pessoas por dia, a que se soma um excesso de mortalidade provocado pelo pico de frio das últimas semanas. 

O reforço dos contentores de frio fora dos hospitais ajuda a aliviar a pressão e os crematórios já tiveram de alargar os horários, mas todo o processo está a sofrer atrasos e já há filas de espera para fazer o funeral. 

A Associação Nacional de Empresas Lutuosas sublinha à TV que 80% dos cemitérios geridos pelas juntas de freguesia não têm coveiro próprio e os crematórios têm um limite diário. Os custos adicionais estão a ser assumidos pelas funerárias.