Empréstimos CGD: Vítor Constâncio diz que só soube da operação "à posteriori"

O ex-governador do Banco de Portugal disse que não ocultou, nem mentiu ao Parlamento. Vítor Constâncio defende-se e afirma só ter tido conhecimento da intenção do pedido de crédito da Fundação Berardo, para a compra de ações do BCP, depois de concedido o empréstimo. Os documentos do processo revelam o contrário, que a Fundação informou o banco público sobre toda a operação