"Estamos numa situação de paralisia generalizada da economia"

Após a reunião com o Conselho Europeu, o primeiro-ministro anunciou esta quinta-feira as decisões tomadas para combater os efeitos que a crise pandémica vai ter nos países da União Europeia.

António Costa afirma que foi acordado o prolongamento da limitação d o fecho das fronteiras externas da Europa e sublinha que o encerramento das fronteiras entre Portugal e Espanha foi considerado um caso exemplar.

O primeiro-ministro esclarece ainda que foi decidido um apelo conjunto à Comissão Europeia para acelerar os procedimentos de compra de equipamento médico e material de proteção individual.

Sobre as consequências económicas e sociais geradas pela pandemia, Costa afirmou que o Eurogrupo vai apresentar as condições da mobilização de uma linha do instrumento de estabilidade europeia para financiar os Estados no combate à crise, num montante global de 240 mil milhões de euros.

O primeiro-ministro adiantou finalmente que esses instrumentos económicos serão utilizados nos investimentos na área da saúde, na aquisição de equipamentos e nas medidas de apoio ao emprego, rendimento e estabilização das empresas.

Sobre "Jornal das 8"