Dezenas de trabalhadores recusam-se a cumprir os serviços mínimos e a requisição civil decretada pelo Governo. Invocam o direito à resistência consagrado na Constituição. Nos centros de distribuição de combustíveis do país, Leça da Palmeira, Aveiras de Cima e Sines, os militares das Forças Armadas e as forças de segurança continuam a conduzir camiões. Em Aveiras, a GNR pediu um helicóptero à Força Aérea para monitorizar os motoristas.