"Grávidas perderam os seus filhos, houve partos instantâneos, uma desgraça"

O presidente da Casa de Moçambique estava no país quando o ciclone Idai chegou a terra. Eoque João descreve um cenário desolador e pede que a ajuda internacional não pare depois deste período inicial, devido às doenças como a malária e cólera que vão começar a alastrar