Há mais ataques, mas não há mais lobos

Técnicos da Universidade do Porto explicam o que está a acontecer, mas as populações querem mais medidas