Haiti: "A consequência deste sismo poderá ser muito similar ao que se passou em 2010"

Marco Martins é coordenador da proteção civil e esteve no Haiti em 2010 quando integrou a equipa portuguesa de resgate após o sismo que então abalou o país. O português afirma que estamos perante "um país muito vulnerável, uma vez que, para além da destruição provocada pelo sismo, "os recursos humanos e materiais são extremamente limitados e deficitários e, por consequência, o país não pode ter uma resposta assertiva". Por isso, alerta que "a consequência deste sismo poderá ser muito similar ao que se passou em 2010".

A ajuda internacional vai ser essencial, caso contrário o número de vítimas vai ser muito significativo."  Marco Martins não tem dúvidas que os Estados Unidos e as Nações Unidas irão dar todo o apoio às operações de resgate que se seguem.

Sobre "Notícias 24"