"Ainda há muita população sitiada"

O tempo em moçambique só melhora a partir de quinta-feira e a grande prioridade é resgatar as famílias que continuam nos telhados e prestar-lhes ajuda humanitária, como explica Cláudio Julaia, colaborador da UNICEF, que está no terreno.