"Aproveitaram da minha condição de ser mulher"

Dilma Rousseff não quer voltar a desempenhar qualquer cargo político e apoia a recandidatura de Lula da Silva à presidência do Brasil em 2018. A ex-presidente do Brasil, em Lisboa para uma conferência sobre neoliberalismo, desigualdade e democracia sob ataque, diz que a sua destituição foi não só um golpe parlamentar como se aproveitou do facto de ela ser mulher