Atentados em Paris e na capital belga já estão oficialmente ligados

Suicida do metro esteve nas mãos da polícia em 2015, mas ficou livre. Ministros do Interior e da Justiça pediram demissão, mas primeiro-ministro belga manteve-os