Cubanos já sentem à mesa o intensificar do embargo dos EUA

Um pouco por todo o país fazem-se filas à porta dos supermercados, onde já há prateleiras vazias e se raciona a venda de produtos. Há falta de comida e de outros bens de primeira necessidade.