Embaixador na UE diz que recebeu ordens expressas de Trump para pressionar Kiev

As últimas horas podem ter sido decisivas para destituir Donald Trump.

O embaixador americano na União Europeia apresentou um testemunho bombástico. Disse que ele e outros diplomatas receberam instruções expressas do Presidente para trabalhar com o advogado e ex-candidato presidencial Rudolph Giuliani.

A intenção era pressionar a Ucrânia a lançar investigações para prejudicar o seu rival democrata Joe Biden.

O embaixador Gordon Sondland garantiu, ainda, que tudo assentava numa troca de favores: Kiev lançaria as investigações e, por sua vez, o Presidente americano concordaria em receber o homólogo ucraniano na Casa Branca.

Donald Trump já reagiu. Pegou numa parte do testemunho para repetir que não houve nenhuma troca de favores e que, como tal, quanto a ele, o processo de destituição já deu o que tinha a dar.

Sobre "Jornal das 8"