Falsa vítima do atentado ao Bataclan condenada a dois anos de prisão

Suspeitas de um falso depoimento começaram quando Cédric Rey mencionou a morte de uma mulher grávida que não constava no registo da polícia francesa