Paulo Portas comenta as manifestações dos últimos dias em Hong Kong, na China.