"Vi muita gente a chorar agarrada aos telemóveis"

Rita Ochoa, emigrante portuguesa em Manchester, relata à TVI o ambiente que se vive na cidade na manhã seguinte ao atentado que fez pelo menos 22 mortos e 59 feridos