Jornalistas espiados: vigilância devia ter sido autorizada por um juiz

A diretora do DIAP de Lisboa afirmou que as vigilâncias aos jornalistas não precisavam de autorização de um juiz.

No entanto, a procuradora Fernanda Pêgo e desmentida pela prática corrente do próprio departamento do Ministério Público que dirige.

Sobre "Jornal das 8"