José Alberto Carvalho faz relato pessoal da devastação causada pelo fogo

Os fogos de 15 e 16 de outubro juntaram-se no maior incêndio de que há memória em Portugal. O país sofreu o equivalente a um bombardeamento massivo que atingiu uma vasta área entre o Norte do Tejo e o Minho. A região afetada corresponde a uma grande parte do mapa de vida de José Alberto Carvalho, natural de Penacova, que regressou esta semana a alguns dos locais para relatar, na primeira pessoa, como o interior está a sofrer o mais dramático e fulminante golpe de sempre