Moçambique: falta quase tudo a quem tudo perdeu no ciclone

Perto de 100 mil pessoas em abrigos sem higiene e propensos à doença. Autoridades temem propagação da cólera e da malária