Panteão Nacional é palco de homenagem a Amália Rodrigues

O Panteão Nacional serviu de palco para celebrar a fadista no centenário do nascimento e 21 anos depois da morte.

É notório que só agora está a depositar-se a poeira do tempo, fazendo sobressair o génio e a real importância da voz e das escolhas de Amália Rodrigues.

Sobre "Jornal das 8"