"Não podemos ser imprudentes"

Mário Centeno, presidente do Eurogrupo e ministro das Finanças de Portugal, diz que o sistema financeiro é agora mais sólido, há mais emprego e o abrandamento do crescimento da economia em 2018 é apenas temporário, mas que isso não autoriza a que sejamos imprudentes.