Não vai responder por tentativa de homicídio por ter passaporte diplomático

Guineense que pertence ao corpo diplomático da embaixada da Guiné-Bissau em Portugal não foi detido nem constituído arguido depois de queimar no rosto com ácido o namorado da ex-companheira. Por ter passaporte diplomático, tem imunidade, o que deixou as autoridades portuguesas de mãos atadas.

Sobre "Jornal da Uma"